Projeto InSala revela propostas educacionais que transcendem a sala de aula no Estado do Rio de Janeiro

A Unigranrio realizou recentemente o projeto InSala, encontro comemorativo pelos 10 anos do Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências (PPGEC-Unigranrio), no Museu de Ciência e Vida, em Duque de Caxias. Cerca de 100 educadores participaram dessa jornada composta por palestrantes convidados, além de professores e alunos do programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências (PPGEC-Unigranrio. Seis alunos desse mestrado tiveram a oportunidade de mostrar seus estudos científicos, numa tarde de workshops e muitos conteúdos educacionais. Este projeto teve aporte da Capes e apoio da Diretoria de Marketing da Unigranrio

Empreendedores e influenciadores que fazem a diferença no Estado do Rio de Janeiro.

Márcio Gonçalves, autor do projeto ‘Aula Sem Paredes’; Rodrigo Costa (ex-aluno do curso de Publicidade da Unigranrio), idealizador do Cena BXD, coletivo com iniciativas culturais para Duque de Caxias; DJ Tamy Reis, professora responsável pelo projeto Tamy na Laje; também deram partida para uma jornada que foi muito além dos limites da sala de aula. Esses convidados também abrilhantaram o InSala com projetos inovadores dentro e fora da sala de aula, em palestras e workshops motivacionais.

Aulas sem paredes e sem limites para o conhecimento desconstroem métodos de ensino.

Márcio Gonçalves, autor do projeto ‘Aula Sem Paredes’, é um formador de opinião, influenciador importante nessa área do conhecimento. Márcio, que é doutor em Ciência da Informação, fez uma análise perfeita por onde caminha a mídia nesta era dos influenciadores digitais. Ele desmistificou modelos conservadores de ensino, fez uma quebra de paradigmas transpondo os limites físicos da sala de aula, deixando a plateia em plena ebulição de ideias. “Eu não quero botar minha aula num pendrive, mas quero coloca-la na nuvens, porque, desta maneira, qualquer pessoa que ‘der um google’ vai me encontrar”, avisa Márcio, que percorre o palco sem parar, atento a qualquer comentário que possa servir como ponte para sua palestra.

Márcio Gonçalves afirma que o momento é de compartilhamento de informações e democratização do ensino.

Márcio Gonçalves tem ambições que ainda o conduzirão a grandes conquistas, sempre como cidadão visionário, inquieto e exigente em seus múltiplos trabalhos. Para ele, o momento é de compartilhamento de informações, de democratizar o ambiente de trabalho: “Hoje, muitos que fazem sucesso e aparecem nas mídias sociais sofrem com os haters, os invejosos que fazem acusações e se escondem nessas ferramentas. Uma aula tem de ser emocionante, brilho nos olhos, com texto, imagens e contexto”, explica Márcio, que tem orgulho de trabalhar com tecnologia da informação.

Márcio Gonçalves: “Essa geração do século 21 faz muitas coisas ao mesmo tempo, sempre plugada no YouTube, Instagran e Facebook”.

Para esse professor atento aos quatro cantos do auditório, tudo que transcende aos métodos tradicionais de ensino causa inveja. “Meus 50 minutos de aula são emocionantes, onde coloco os alunos como produtores de conteúdo ne rede de internet. Esse meu projeto é muito jovem, inquieto e generoso. É a geração do século 21 em franca ebulição, antenada em muitas coisas ao mesmo tempo, com utilização do YouTube, Instagran e Facebook.  Em sala de aula, eu dou dicas de leitura, sobre o mercado de trabalho e muito do que o aluno precisa. Eu já fiz aula aberta na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Museu da República. Eu uso de muitas maneiras para juntar alunos e ideias em sala de aula, seja em rodas de conversa ou em lives muito legais, com propósito de estimular professores para cenários diferentes de ensino”.

Rodrigo Costa, idealizador do Cena BXD – coletivo com iniciativas culturais para Duque de Caxias, foi aluno do curso de Publicidade e Propaganda da Unigranrio. Veja o depoimento dele neste vídeo:

O Publicitário Rodrigo Costa usa a madrugada como espaço de criação, mas não reclama da falta de sono, apesar de dormir apenas quatro horas a cada dia.

O multimídia alterna seu tempo entre fotografias, projetos e ações voltadas ao Cena BXD, tudo para promover a cultura local e valorizar pessoas que têm histórias originais e empreendedoras na cidade de Duque de Caxias. Rodrigo explica aos educadores presentes ao InSala que precisa girar a roda da criatividade a cada momento.  Ele foi aluno do curso de Publicidade e Propaganda da Unigranrio, mas seu caminho de conquistas verticalizou dessa universidade para sonhos reais de trabalho.

Rodrigo Costa: “Inovar, por exemplo, é quebrar a continuidade de um processo de ensino já estabelecido”.

Com visão ampla sobre o que gosta de fazer, Rodrigo Costa deu asas a seus projetos como diretor de fotografia, movido pela inovação de seu HD humano e nas muitas experiências acumuladas no jornal OGlobo. “Inovar, por exemplo, é quebrar a continuidade de um processo de ensino já estabelecido. Meu trabalho dentro do jornal, após cinco anos de trabalho, com este fluxo de informação adquirida, foi fundamental para que eu optasse por algo novo. Entretenimento focado na atividade de fotografia passou a ser meu território, momento em que criei o projeto Cena BXD, amparado por outros ases dessa profissão”.

DJ Tamy Reis, professora responsável pelo projeto Tamy na Laje, deu seu recado nesse evento.

Ela mostrou que sua arte pode ser ensinada em qualquer lugar, seja na pista de uma discoteca, num palco ou ao ar livre. Ela é alegre, gosta de dançar e imitar artistas em geral. Com seu combo, digo case, ela evolui, sobe o som, ensina aos educadores como tirar melhor proveito da tecnologia. Influenciada por seu pai, que sempre gostou de Black Music e aparelhagem de som, tendo também a mãe como incentivadora, já que ela gostava de cantar em corais na igreja, tudo ficou mais fácil. Tamy estudou de tudo um pouco, seja em aulas de canto, piano, violão e flauta, como em aulas de teatro, pintura, fotografia e outras mais. Essa DJ que adora Hip Hop simulou um evento só para deixar os participantes do InSala no clima das mixagens, das técnicas e das batidas eletrônicas mais conhecidas.

Andrea Velloso da Silveira Praça, coordenadora-geral do Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências (PPGEC-Unigranrio), deu depoimento em vídeo sobre a importância do Projeto InSala. Para ela, não há mais barreiras para o desenvolvimento de ideias empreendedoras.  Veja o vídeo a seguir

Acompanhe um pouco mais sobre trabalhos de seis alunos do Programa de Pós-Graduação de Ciência da Unigranrio. Destaque para dissertações de mestrado.

Ariana Rabelo de Almeida Lacerda (professora da Rede Municipal de Ensino de Duque de Caxias)

Título: “Saberes docentes e educação infantil: as possibilidades do fazer ciências pela literatura infantil”;
Resumo: “Literatura infantil voltada para despertar o fazer científico nos primeiros anos de escolaridade. Busca estimular a curiosidade, uma visão crítica e reflexiva das questões científicas que permeiam a rotina infantil. A curiosidade epistêmica inerente às infâncias é o fio condutor de toda a história. Nesse sentido, numa proposta dialogia entre educação infantil e ensino de ciências, a literatura surge como uma possibilidade de resistência ao pragmatismo educacional”;

Elaine Luiz de Carvalho (professora do Instituto Benjamin Constant)

Título: “TOKVOX: relevo, texturas e som no ensino de química para deficientes visuais”;
Resumo: “Tecnologia Assistiva para cegos, a partir de um livro sonoro voltado ao ensino de química com foco na atomicidade e na radiação. O livro é escrito em braile, com relevos, texturas e som. O livro acompanha um equipamento e um aplicativo para celular que faz a audiodescrição das páginas”.

Luciana de Morais Dutra (Professora da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro)

Fazer o dever de casa é bom demais! Será? Pode ser.
A professora Luciana de Morais Dutra, professora da rede estadual de educação do Rio de Janeiro e aluna do mestrado/PPGEC, tem um projeto que vai colaborar na solução de um problema comum a todos professores: de alunos que não gostam de fazer o dever de casa. Veja seu depoimento no vídeo a seguir:

Título: “Aprendizagem ativa e avaliações on-line: o uso da ferramenta Google Forms no processo de construção do conhecimento de Física”;
Resumo: “A proposta é de elaboração de avaliações da aprendizagem utilizando a ferramenta Google Forms, uma proposta de avaliação não presencial, fugindo assim dos modelos atuais, onde o estudante poderá participar da construção do próprio conhecimento através de pesquisas e interações com os colegas e/ou professor, tornando assim o processo de aprendizagem dos conteúdos uma atividade tanto intra quanto extra classe”;

Paulo Barbosa de Almeida (professor da Rede Municipal de Ensino)

Título: “Resolução de problemas por modelagem matemática”;
Resumo: “O produto consiste em um minicurso sobre a Metodologia Ensino-Aprendizagem-Avaliação durante a Resolução de Problemas”.

Ricardo Cerqueira de Abreu  (Professor da Rede Estadual de Ensino do Rio de Janeiro)

Título: “Calculando distância muitas vezes desconhecidas”;
Resumo: “O Produto Educacional será um livreto sobre Distância Euclidiana, Distância de Manhattan e a Distância Geodésica. O objetivo principal é abordar distâncias em várias situações, fazendo assim com que os professores trabalhem essas abordagens de uma maneira diferente com seu aluno se assim o desejar. A proposta é abordar aplicações de distâncias que não são comumente utilizadas e muitas vezes desconhecidas por parte dos professores”.