Unigranrio concede título Doutor Honoris Causa a Paulo Monteiro Vieira Braga Barone

O cientista Paulo Monteiro Vieira Braga Barone, conselheiro da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), foi homenageado nesta última sexta-feira com o título Doutor Honoris Causa, na sede da Unigranrio, em Duque de Caxias. Paulo Barone recebeu esse título por ter se destacado em favor da educação. O CNE tem atribuições normativas, deliberativas e de assessoramento ao ministro da Educação. Paulo é graduado em Física pela Universidade Federal de Juiz de Fora e em Engenharia pela mesma universidade. Ele, que foi saudado pelo cientista Vivaldo Moura Neto antes de sua conferência sobre Educação no Brasil, é doutor em Física pela Unicamp e especialista em Estrutura Eletrônica de Moléculas Bioativas e de Nanodispositivos.

Paulo Barone destacou ensino de qualidade e avanços na linha de pesquisas científicas da Unigranrio

“Estou aqui também para reconhecer todo o trabalho que esta universidade produz, essencialmente em pesquisa, que é muito maior do que eu imaginava. Essa é a expressão de meu reconhecimento ao trabalho iniciado pelo fundador dessa instituição, José de Souza Herdy, sequenciado pelo reitor Arody Herdy e seus familiares. É com imensa satisfação que recebo essa homenagem nessa data”, agradece Paulo Barone, que descerrou placa em sua homenagem na Reitoria.

Comissão de Honra da Unigranrio

Ela foi composta pelo reitor da Unigranrio, Arody, Herdy; pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação Stricto Sensu, Emílio Antônio Francischetti; pró-reitora de Pós-Graduação Lato Sensu e Extensão, Nara Pires; pró-reitora de Graduação, Virgínia Genelhu; professora visitante da Unigranrio, Marlene Benchimol; e coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa da Unigranrio, Renato Cerqueira Zambrotti.

Paulo Barone: "Não imagino uma universidade sem o diferencial de ensino voltado para pesquisa e tecnologia"

“Apesar de tantos desafios na área da educação nesse país, vejo que há oportunidades que nos conduzem a muitas conquistas na área da pesquisa e da educação. Acredito que é importante reconhecer o desenvolvimento, mas ele esteja em sintonia com os anseios da sociedade brasileira. Tudo que fiz como físico e, ainda, em trabalhos na linha docente foi fundamental na minha vida. Não imagino uma universidade sem o diferencial de ensino voltado para pesquisa e tecnologia”, adianta o homenageado.

Gestão pública comprometida com diálogo junto ao Ministério de Educação.

“Eu tenho feito muito esforço ao longo de minha gestão no CNE, com ênfase no compartilhamento de experiências com públicos variados desse país. Como professor universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora e também no cargo que exerço em Brasília, sempre fui comprometido com a solução e diálogo com setores imediatos de decisão. Essa concepção do serviço público sempre foi exercitada numa concepção de conversação junto ao Ministério da Educação”, explica Paulo Barone. Ele conclui sua fala com modéstia absoluta: “Gostaria de reiterar a todos dessa universidade a generosidade dessa homenagem, para a qual não me sinto devidamente qualificado, frente à qualidade acadêmica da Unigranrio. Estou imensamente agradecido aos responsáveis por esta indicação”.

Reitor da Unigranrio, Arody Herdy, enaltece a presença do homenageado

“Quero agradecer a presença de Eliete Bouskela, diretora científica da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), e também a José Rodrigues de Farias Filho, pró-reitor de Graduação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor Barone, precisamos de outros pares, como o senhor, para a edificação de um país que almejamos. Fico ainda mais satisfeito ao saber que o senhor se identifica, em primeiro lugar, como professor, visto que só podemos mudar a vida das pessoas a partir do conhecimento”, agradece o reitor.

10-doutorhonoriscausa

Conferência sobre Educação no Brasil foi muito aplaudida por professores, universitários e convidados

“Não haverá inserção no Brasil na sociedade do conhecimento, na nova economia, sem educação básica de boa qualidade. A sociedade precisa estar melhor preparada, digo educada. Outro problema é que a falta de estrutura na segurança pública desorganiza de tal maneira a sociedade que, se nada for resolvido, o Brasil não avançará. A desigualdade social ainda é intensa, fator que precisa ser superado a médio prazo. É preciso que o Brasil ofereça equalização de oportunidades. A falta de creches em tempo integral para crianças de zero a três anos é um problema que poderia ser resolvido. E não é nada demais, quando vemos que representa apenas 0,3% do PIB”, sugere Paulo Barone.

Paulo Barone conclui sua palestra com uma frase dita pela primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel

“Para cada problema complexo, como disse a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, é irresistível o surgimento de uma solução que aparenta ser elegante e simples, mas que é sempre coletiva.  Isso vale para o ensino, para a sociedade, para a pesquisa e para o cruzamento de atividades que possam gerar conhecimento, descoberta, desenvolvimento e melhoria d a qualidade de vida”.

Comentários