Unigranrio promove Sinctec 2019 com recorde de projetos de iniciação científica

O Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da Unigranrio (Sinctec), em sua 13ª edição, evidenciou o trabalho de pesquisa, integração entre graduação e pós-graduação, além de projetos inovadores em consonância com o avanço tecnológico, impulsionados pela indústria brasileira. O tema deste ano ‘Impactos das novas tecnologias na sociedade’ foi amplamente debatido com docentes, pesquisadores, estudantes, gestores e líderes de empresas empreendedoras, com foco em desenvolvimento social, econômico e ambiental. Veja no vídeo do Canal Unigranrio todos os detalhes de palestras e entrega de medalhas aos vencedores de projetos de Iniciação científica 2019.  https://youtu.be/3ILwhmeEmyw

Funadesp, CNPq e Faperj comprovam eficiência, evolução e inovação durante Sinctec 2019.

 Somente neste ano, a Unigranrio teve 141 trabalhos apresentados no Sinctec, com participação de 82 professores e 120 alunos. A pesquisa e a construção do conhecimento estão na matriz de nove cursos de mestrado e doutorado, ancorados por 46 professores e pesquisadores. Esta 13ª edição do Sinctec contou novamente com apoio da Funadesp, CNPq e Faperj. Discurso de Nara Pires, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da Unigranrio (Propep), enfatiza olhar científico nas áreas de graduação e pós-graduação, além do crescimento exponencial de projetos voltados para qualidade de vida da população brasileira.

Sinctec ocorre de acordo com normas estabelecidas pelo CNPq

Nara Pires, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da Unigranrio (Propep), abriu o Sinctec, ao lado do reitor da Unigranrio, Arody Herdy, e da pró-reitora de Graduação (Prograd), Lívia Lacerda. Cerca de 200 participantes compareceram a este evento. O Sinctec ocorre de acordo com normas estabelecidas pelo CNPq e inclui a avaliação dos Programas Institucionais de Iniciação Científica para a graduação (PIBIC) e para o ensino médio (PIBIC-EM), além do Programa de Bolsas para o Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI) pelo Comitê Externo, formado por pesquisadores do CNPq, com bolsa de produtividade em pesquisa.

Reitor da Unigranrio, Arody Herdy, lembra que hoje todos estão conectados ao 13º Sinctec e às novas tecnologias

“Esse Sinctec só acontece graças ao esforço e carinho de nossos professores. Eu também quero parabenizar a professora Nara e aqueles que lhe ajudaram a promover essa jornada tendo como tema principal ‘Impactos das novas tecnologias na sociedade’. Mas não poderia deixar de lembrar o trabalho dos professores Emílio Francischetti e Virginia Genelhu, que hoje não estão mais em nossa universidade, embora com seus corações voltados para esse momento. Eles são responsáveis pelo desenvolvimento da boa pesquisa e da iniciação científica em nossa universidade”.

Nara Pires, pró-reitora de pós-graduação e Pesquisa da Unigranrio, disse que “a essência da Iniciação Científica é desenvolver o gosto pela pesquisa e iniciar a formação de novos pesquisadores”

Nara Pires enfatizou a “contribuição substancial dos professores Emílio Francischetti e Virginia Genelhu, que organizaram o Sinctec nos últimos anos. Depois de 13 edições do Sinctec, com mais de 1.500 estudos apresentados nesses anos, podemos afirmar que iniciação e pesquisa estão no DNA da Unigranrio. Eu lembro que entre 2017 e 2019, a publicação de artigos científicos em revistas nacionais e internacionais, por parte de nossos professores, produziram 33.500 pontos, conforme avaliação e critérios estabelecidos pela Capes.

Outorga especial à pesquisadora com maior maior número de orientações nas últimas três edições do Sinctec

Nara Pires, Pró-reitora da Propep, concedeu homenagem à pesquisadora e professora de Odontologia da Unigranrio, Carina Maciel Boghossian, responsável pelo maior número de orientações nas últimas três edições do Sinctec.

Premiação a quem obteve maior índice de produtividade em pesquisa

Nara Pires também prestou homenagem ao professor Emmanuel João Nogueira Leal da Silva, que obteve o maior índice de produtividade em pesquisa, conforme a Capes, nos últimos três anos, a partir de publicações de artigos nacionais e internacionais, e que sozinho foi responsável por 34% dos pontos totais realizados pelos programas de Pós-graduação stricto sensu dessa universidade. Ele não pode comparecer, mas foi representado pelo professor Victor Talarico.

Professores da Unigranrio apresentam projetos no painel “A Unigranrio é Ciência”

Os professores Carina Maciel da Silva Boghossian, Emmanuel João Leal Nogueira da Silva,  Gisele Capaci Rodrigues, Roberta Vasconcelos, Márcio Luiz Correa Vilaça, Victor Talarico Leal Vieira e Claudia Maria Pereira (mediadora) apresentaram seus trabalhos de pesquisa durante o painel “A Unigranrio é Ciência”.

A seguir, houve outorga da medalha Professor José de Souza Herdy para os melhores trabalhos de Iniciação Científica e Tecnológica da Unigranrio. Todas as fotos podem ser vistas na galeria de imagens, ao final dessa reportagem

Sthefany Braga, que está no 8º período do curso de Engenharia Civil, chegou, chegando neste Sinctec. Ela está entre os 141 trabalhos apresentados neste ano

Sthefany Braga, que reside em Duque de Caxias e cursa o 8º período do curso de Engenharia Civil, chegou com força total neste Sinctec, ao ser escolhida por seu projeto de   Iniciação Científica “Pesquisa e desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis para engenharia civil”. Sthefany, que estuda seis horas por dia, explica resumidamente sobre sua iniciativa: “Desenvolvi um aplicativo móvel para cálculo de armadura de vigas biapoiadas, com utilização da plataforma MIT App Inventor, cujo sistema operacional é o Android. É importante ressaltar que que o uso desse recurso não substitui o método tradicional de ensino, mas, pelo contrário, complementa a aprendizagem, a torna mais acessível, prática e dinâmica, se adequando aos tempos atuais”, completa Sthefani, que é a primeira de sua família a cursar uma faculdade. Ela pretende seguir carreira na área de estruturas.

O coordenador do curso de Engenharia Civil da Unigranrio, Élvio Machado, reúne competência, atualização e profissionalismo

Élvio Machado, coordenador desse curso na Unigranrio, afirma que “o diferencial desse aplicativo reside no engajamento do aluno, visto que esses universitários são interativos e conectados. O campo da tecnologia integra os saberes e, sem toda esse ferramental tecnológico, fica difícil alguém cursar engenharia civil hoje em dia. O smartphone praticamente já faz parte do corpo humano”.

Comentários