Unigranrio realiza Semana de Biomedicina com professores e profissionais de mercado do Rio e São Paulo

A Unigranrio realiza a “Semana de Biomedicina 2018”, de 5 a 9 de novembro, em Duque de Caxias.  Os temas serão discutidos com profissionais dessa universidade e de instituições do Estado do Rio de Janeiro, a exemplo de pesquisas sobre doenças humanas, seus fatores ambientais e ecoepidemiológicos. “Toxicologia no esporte”, “Doping genético”, “Perícia criminal em locais de homicídio” e “Transplante fecal – preparado para essa nova terapia?” são alguns dos principais assuntos desse evento focado na interface entre Biologia e Medicina. Entrada franca. Local: Rua Prof. José de Souza Herdy, 16, bairro 25 de agosto, Duque de Caxias. Entrada franca. 

Coordenador do curso de Biomedicina da Unigranrio, Daniel Reynaldo, afirma que "atualização é palavra de ordem".

Segundo o coordenador Daniel, a Semana Científica tem objetivo de qualificar acadêmicos e propiciar o intercâmbio com profissionais que atuam no mercado de trabalho, de modo a compreender as causas e efeitos, além de discutir e aprimorar diagnósticos e tratamentos de doenças. “As novas tecnologias provocam mudanças nas práticas biomédicas e em muitas profissões na área da saúde. Na Biomedicina, atualização é a palavra de ordem, como ocorre na maioria das profissões, mas o acesso ao conhecimento gerado em universidades e institutos de pesquisa representam inovação e pujança”.

Confira nossa agenda!

Dia 6/11

09h às 10h

“Princípios de processamento de alimentos”, por Daniel Simões Couto, doutor em Ciências e Tecnologia de Alimentos pela UF Rural do Rio de Janeiro.

10h às 11h

“Principais problemas observados nas determinações hematológicas no laboratório clínico”, por Mauro Terra, auditor do Ministério da Saúde, doutor em Bioquímica e empresário do ramo de Análises Clínicas.

11h às 12h

“Análise da montagem da proteína capsídica do vírus da hepatite ‘C’ em partículas nucleocapsídeo-like”, por Vanessa Lopes de Azevedo Braga, professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP).

13:30h às 14:30h

“Perícia criminal em locais de homicídio”, por Carolina Rodrigues Linhares, perita criminal da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro.

14:30h às 15:30h

“Citometria de fluxo: do hemograma às pesquisas”, por Luciana Nahar dos Santos, doutora em Biologia Parasitária pela Fundação Oswaldo Cruz.

16h às 17:30h

“Debate sobre o tema “Egressos de Biomedicina”, com Rafaella Cardoso, Hury Hellen, Mayara Alves e Maria Clara.

17:30h às 18:30h

“Doenças emergentes e reemergentes”, por Cristiane da Cruz Lamas, professora de Medicina da Unigranrio. Ela lidera grupo de pesquisa em endocardite infecciosa no Instituto Nacional de Cardiologia, além de professora do Mestrado Profissional em Ciências Cardiovasculares do Instituto Nacional de Cardiologia. Cristiane faz parte do Comitê Institucional de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Unigranrio.

18:30h às 19:30h

“Engenharia Biomédica – Ciência e Tecnologia em prol da Saúde Humana”, por Henrique Rudolf Tutumi, colaborador do Inmetro. Ele possui experiência nas áreas de Biologia Celular e Bioengenharia.

Dia 7/11

09h às 10h

“Propriedade intelectual em Biotecnologia: passo a passo para o depósito de patentes”, por Renata Angeli, doutora em Bioquímica, é professora-adjunta da UEZO, atuando em temas como propriedade intelectual, empreendedorismo, patentes, biotecnologia e monitoramento tecnológico.

10h às 11h

“Bioimagem: aplicações e perspectivas da ciência básica”, por Isalira Peroba Rezende Ramos, doutora em Biomedicina. Ela atua no Laboratório de Cardiologia Celular e Molecular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho e no Centro Nacional de Biologia e Bioimagem (Cenabio).

11h às 12h

“Danos e reparos do DNA: bases da instabilidade genômica”, por Vanessa Câmara Fernandes, bióloga e aluna de doutorado do programa de pós-graduação em oncologia do Instituto Nacional de Câncer (INCA).

13h às 14:30h

“Toxicologia no esporte”, por Phelipe Oliveira de Macedo, biomédico e professor no Centro Universitário IBRM. Ele atua no Laboratório Labtec, no Rio de Janeiro.

14:30h às 15:30h

“Situação atual da Biomedicina no Rio de Janeiro”, por Daniel Pereira Reynaldo, coordenador do curso de Biomedicina da Unigranrio. Ele é delegado do Conselho Regional de Biomedicina da Primeira Região e membro do comitê de ética em pesquisa da Unigranrio.

16h às 17h

“Ansiedade no meio universitário”, por Priscila Telles Azevedo, bióloga formada pela Universidade Veiga de Almeida, tem 10 anos de experiência em atendimento clínico, tendo atuado em treinamento para professores de Aracruz (ES) pela Petrobras.

17h às 18h

“Como vim parar na pesquisa: da Unigranrio para o Mal da Vaca Louca”, Cyntia Alves Conceição, biomédica pela Unigranrio. Atualmente, ela atua no laboratório da UFRJ como aluna de mestrado do programa Multicêntrico de Pós-Graduação em Bioquímica e Biologia Molecular,campus Maracanã.

*Das 13h às 18h

“Introdução ao diagnóstico das infecções fúngicas endêmicas do Brasil”, por Felipe Almeida da Silva. Ele é mestrando do Programa de Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (Fiocruz).

Dia 8/11

10h às 11h

“Papel do biomédico na oncologia”, por Daniela Ribeiro Ney Garcia. Doutora em biomedicina, ela exerce citogenética molecular e clássica no laboratório multidisciplinar do IPPMG-UFRJ e no laboratório de citogenética dos laboratórios especializados do CEMO-IINCA.

11h às 12h

“Ética na estética”, por Tayná Guedes da Silva. Advogada pela Estácio de Sá (2017).

13:30h às 15h

“Debate sobre “Erros práticos de um biomédico esteta”, por Raquel Chaves, professora do curso de Biomedicina da Unigranrio, e Raphael Rangel das Chagas, aluno de mestrado do Biotrans (Unigranrio).

Raquel Ferreira Chaves, biomédica  pela Universidade Castelo Branco, pós-graduada em Biomedicina Estética.

Raphael Rangel das Chagas, que atua na área de Virologia e Biotecnologia, ocupa o cargo de subdelegado do Conselho Regional de Biomedicina 1ª Região. Ele é professor das escolas de ciências da saúde do Centro Universitário IBMR e do Centro Universitário Celso Lisboa.

15h às 16h

“Uso de células-tronco como modelos in vitro de doenças neurovegetativas”, por Luiz Guilherme Hendrischky Santos Aragão, biomédico e doutorando em Ciências Médicas pelo Instituto D’Or. Ele trabalhou como pesquisador no departamento de genética da Harvard Medical School. Luiz possui canal no YouTube, onde produz vídeos sobre pesquisas científicas.

16:30h às 17:30h

“O papel do bioquímico na citologia: a importância da citologia no mercado de trabalho para o biomédico”, por Daniel Escorsim Machado. Ele é professor do Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO).

17:30h às 18:30h

“Hemoterapia e banco de sangue”, por Jackson Nascimento. Ele é biomédico do Centro de Transfusão Sanguínea e assistente de fiscalização do Conselho Regional de Biomedicina 1ª Região.

18:30h às 19:30h

“Transplante Fecal –preparado para essa nova terapia?”, por Beatriz Nascimento Monteiro da Silva. Ela é doutora em Microbiologia Médica Humana pela UERJ. Atuou como colaboradora no Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem durante as Olimpíadas Rio-2016.

19:30h às 20:30h

“Doping genético”, por Éric Diego Barioni.  Ele é doutor em biomedicina e, atualmente, leciona na Universidade de Sorocaba (Uniso). Éric é coordenador do curso de pós-graduação em Análises Clínicas do Instituto de Pesquisa e Educação em Saúde do Estado de São Paulo, membro da Associação Brasileira de Biomedicina e da Sociedade Brasileira de Toxicologia.

Comentários